Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico

      Após a conquista de São Luís do Maranhão, em novembro de 1615 e por determinação do Capitão-mor do Maranhão, Alexandre de Moura, o Capitão-mor da Capitania do Rio Grande do Norte, à disposição do Governo do Maranhão, FRANCISCO CALDEIRA DE CASTELO BRANCO, partiu daquela cidade para a conquista da boca do rio Amazonas, em 25 de dezembro de 1615. Aproveitou o êxito da expulsão dos franceses do Maranhão, perseguindo-os até a desembocadura do Rio Mar, onde deixou que prosseguissem para a Europa.

      Com três embarcações e menos de duzentos homens, a expedição atingiu a baía de Guajará em 12 de janeiro de 1616, levantando num pequeno promontório de terra à margem esquerda do igarapé Piri, um forte de faxina e terra, com alojamentos cobertos de palha, artilhado com doze peças.

      Batizado de “Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém”, núcleo do povoado de Nossa Senhora de Belém, sua missão era conter eventuais agressões de indígenas e ataques dos corsários ingleses e holandeses que atuavam naquela região.

      Séculos depois, o Decreto Real de 1º de outubro de 1821 criou o Comando das Armas da Província do Pará, com sede em Belém. Era o Comando Supremo das Armas Portuguesas na Amazônia. Área de jurisdição dos atuais estados do Pará (Incluía o Amapá) e Amazonas (Hoje inclui Roraima, Ex-Rio Branco e Rondônia Ex-Guaporé). O Acre ainda era boliviano.

O Decreto Imperial nº 785, de 06 de maio de 1851, distribuiu as Províncias do Império em seis Distritos para Inspeções Militares, criando o Quinto Distrito – Províncias do Ceará, Piauhy, Maranhão, Pará e Amazonas. Esta maravilhosa linhagem que desembocou na República como: os Distritos Militares, as Regiões de Inspeção Permanente e as Regiões Militares.

      Segundo o Decreto nº 431 de 2 de Julho de 1891, o Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil, atendendo ás necessidades do serviço do Exército, dividiu o território da Republica dos Estados Unidos do Brasil em sete distritos militares, formados de Estados diferentes. O 1º Distrito era composto pelos estados do Amazonas, Pará, Maranhão e “Piauhy”, com sede na capital do Pará. Ao 1º Distrito ficaram subordinados toda e qualquer comissão militar, as fortalezas; armazéns, fabricas, escolas, arsenais, depósitos, hospitais e demais estabelecimentos subordinados ou pertencentes ao Ministério da Guerra que existirem nos respectivos distritos.

      Nesse contexto, no dia 04 de janeiro de 1908, ocorreu a formalização burocrática da presença militar na estrutura do Estado brasileiro, tendo por base a Lei 1860, ato jurídico que criou a 2ª Região de Inspeção Permanente, atualmente 8ª Região Militar. A origem da 8ª Região Militar, portanto, está diretamente relacionada à própria conquista da região Amazônica pelo Reino de Portugal.

      O Comando da 8ª Região Militar foi instalado no dia 27 de março de 1909, em consequência da Lei nº 1860, de 4 de janeiro de 1908, com a denominação de Quartel General. A Região que abrangia Pará e Aricary (Amapá) tinha a denominação de 2ª Região de Inspeção Permanente e funcionou, provisoriamente, no quartel do extinto 34º Batalhão de Caçadores, no bairro de Nazaré.

      O atual Quartel General Integrado foi construído na então Praça Saldanha Marinho, hoje Praça da Bandeira, no terreno do antigo quartel do 4º Batalhão de Artilharia. Em 1915, foi instalada no mesmo Quartel General a 1ª Região Militar, substituindo a 2ª Região Militar. Mudou a sua denominação para 7ª Região Militar, em 1919. Em 1923, tomou a denominação de 8ª Região Militar, tendo, posteriormente, em 1956, sido criado o Comando Militar da Amazônia e 8ª Região Militar, com jurisdição sobre os elementos do Exército sediados nos estados do Pará, Amazonas, parte de Goiás (ao norte de Porto Nacional), Acre e Rondônia.

      Com a transferência da sede do Comando Militar da Amazônia para Manaus e a criação da 12ª Região Militar, foi mudada a denominação de Quartel General do Comando Militar da Amazônia e 8ª Região Militar, para Quartel General da 8ª Região Militar.

      Em Decreto Presidencial de 8 de julho de 1992, a 8ª Região Militar tomou a denominação de Comando Militar do Norte e 8ª Região Militar. Em Portaria Ministerial de 3 de abril de 1995, retornou a denominação de 8ª Região Militar, com responsabilidade territorial nos estados do Pará e Amapá, no município de Imperatriz – MA e em parte do estado do Tocantins.

      A seguir, em 1º de abril de 2004, em decorrência de nova transformação, foi criada a 8ª Região Militar e 8ª Divisão de Exército, denominação que vigorou até 2013, quando foi criado, por meio da Portaria n.° 142, de 13 de março de 2013, o Comando Militar do Norte, com sede em Belém/PA, voltando a ser denominada de 8ª Região Militar.

registrado em:
Fim do conteúdo da página